segunda-feira, 9 de maio de 2011

Era Quase Meio-Dia


Era quase meio-dia
Já o sol se queria deitar,
Andava eu, quase fugia
Escondendo-me para te encontrar

Escondido atrás de uma rosa
Para que não me pudesses ver,
Sorria eu em prosa
Pois em verso não sei ler

Cantava eu calado
Aquando em silêncio me segredavas,
Sorria o vento já cansado
Enquanto numa nuvem te deitavas

Assim que te levantaste
Da pétala em que te sentaras,
Fiquei eu, louco e pasmado
Com o segredo que me desvendaras

Ouvi um pássaro chilrear
Tu sorriste meio encantada,
Com a suave brisa do mar
Naquele campo, sem nada

De um torrão de açúcar
Onde viste papoilas a voar,
Num momento encantador
De um dia por inventar

Encantavas o sol doirado
Que já há muito não se via,
Sorrindo, perdidos no tempo
Era quase meio-dia

Já no céu, sorria a lua
Cantavam alegres, os peixes no mar,
Beijando eu a boca tua
Como se nas nuvens pudesse poisar

Tu que das estrelas me chamavas
Deitado no chão eu te sorria,
Já o sol se queria deitar
Era quase meio-dia

11 Pedrinhas Lançadas:

Hugo de Oliveira disse...

Belíssimo texto.

abraços
de luz e paz

Cores da Vida... disse...

Quanto romantismo... Muito bonito e causa uma sensação gostosa, como se estivesse sentindo esse dia suave...

Beijos,

Vieira Calado disse...

Muito bucólico,

o seu poema!

Forte abraço

Adriana Martins disse...

Lindos os poemas , vc é portugues?? bjs

Fabricante de Sonhos disse...

Amigo!

Que saudade eu estava daqui!
Que saudade eu estava de ler seus textos!!!!

Muito lindo e romântico.

Amei cada palavra, cada verso!

Um beijo mágico pra vc!

Tânia T. disse...

Joãooo.. que saudade das suas palavras apaixonantes.. da sua escrita maravilhosa!!!


:DDD

Nunca mais desapareço.. saudades disso tudo aqui...


Bjuu =*

Cores da Vida... disse...

Boa semana para você...
Bjs,

Carolina Hermanas disse...

Que liiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinnndo *O*
É sempre tãaaaao bom escrever sobre o amor,sobre a simplicidade,juntamente com a noite, o dia e coisas assim né? Os pequenos detalhes fazem a diferença *_*

Nossa,me apaixonei.HAUAHAUAHAUHAU;


Saudades daqui,João <3

Folhetim Cultural disse...

Olá se recorda de mim? É o Magno Oliveira do Blog Folhetim Cultural, há muito tempo não lhe visito e eu também a ti, como anda seu blog? O Folhetim Cultural a cada dia crescendo. Agora temos espaço para contos, poesias, crônicas, charges e muitas outras coisas que espero que goste.

Blog: informativofolhetimcultural.blogspot.com
E-mail: folhetimcultural@hotmail.com
o Blog agora tem até twitter: twitter.com/folhetimcultura ou @folhetimcultura

Espero por ti abraços!

Carlos Leite disse...

Que belíssimo poema! Tão apaixonado!
Normalmente, não gosto deste estilo, contudo, a sua forma de escrever fez com que de facto, este tema fosse especial para mim.
Adorei, "Sorria eu em prso, pois em verso não sei ler".
Bravo, bravíssimo !


Atenciosamente,
Carlos Leite, http://opintordesonhos.blogspot.com

Fabricante de Sonhos disse...

Amigo!

Escreva mais!

Não suma tanto tempo assim!!!

Apareça!

Um beijo meu...
Milla Borges

BlogBlogs.Com.Br