sexta-feira, 21 de maio de 2010

Uma Mórbida Sombra do Teu Ser...

Olha bem nos meu olhos
Saberás porque estão fechados,
Pois são eles o reflexo
De momentos inacabados

Momentos esses outrora vividos
Num amanhã que não houvera chegado,
Pormenores de algo por ti já esquecido
Mas por mim para sempre lembrado

Sinto um aperto no peito
Uma tormenta que não tem fim,
Perdendo-me na ilusão
Imagino-me a a morrer sem ti

Posso até não ser aquilo que querias
Nem mesmo o sonho que sonhavas ter,
Sou apenas mera ilusão da vida
Uma mórbida sombra do teu ser.

2 Pedrinhas Lançadas:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, João. Desculpe-me, mas não resisti à tentação de invadir o seu cantinho. Lindo e comovente poema.
*Olhos nos olhos* e tudo está dito, estejam eles fechados ou abertos.

*Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade...
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado e
com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração.

William Shakespeare*

Abraços
Tudo de Bom
Renata

Vieira Calado disse...

Oh, João,

você parece-me um pouco pessimista.

Veja lá se, durante o fim de semana,

as coisas se compõem.

Um abraço

BlogBlogs.Com.Br