quinta-feira, 19 de março de 2009

Felizmente Há Luar (part.II)


Depois de tanta alegria
Depois de tanto amor,
É a desgraça que me mata
E me faz desvair em dor

É na dor que eu vivo
É a morte que me faz pensar,
O porque de não ter respostas
Cada vez que tento amar

Mas não me importa a minha tristeza
Se tu vives num mundo de alegria,
Mesmo que eu viva na escuridão das trevas
Tu serás sempre a luz do meu dia

Podes não mais querer ver-me
Podes até não querer saber de mim,
Podes mesmo mandar matar
Este pobre coração que sofre sem fim

Sofro mas sem medos, nem dor
Sem receio, nem ressentimentos,
Pois nem a morte consegue mudar
Um pouco que seja, meus sentimentos

Sinto que há muito te perdi
Mas não o teu amor,
Pois sempre que comigo falas
Na tua voz sinto dor

Tu que te armas em forte
O braço a torcer, não queres dar
Tu que nunca me esqueceste
E que para mim queres voltar

Sinto o receio da tua voz
A tristeza que te atormenta,
Sinto que queres explodir
Pois teu coração não mais aguenta

Sentes a tristeza da minha dor
A mesma vontade de amar,
Sentes frio quando está calor
Mas felizmente há luar

6 Pedrinhas Lançadas:

Cáh disse...

"O porque de não ter respostas
Cada vez que tento amar"


Lindissimo..
Obrigada pela visita....


virei mais vezes tbm.... gostei do texto, é leve, embora nas entrelinhas tenha um bocado do peso da dor..


Um Beijo

Betania Lisboa disse...

João passei para desejar um feliz dia do blogueiro.
"Blogar é construir pontes de amizade e conhecimento no espaço.
Você fez sua ponte hoje?"
Vamos construir pontes juntos?
beijos.

Cris Animal disse...

João Querido, lendo essa sua poesia me lembrei daquele velho ditado que diz: o que é nosso, se
não está agora consoco, um dia voltará.
Se é amor, permanecerá e resistirá a tudo e à todos. Pode ser tolice, mas acredito nisso.
linda sua poesia. Escrita com o fogo marcado da alma....bronze!]
beijo
..............Cris Animal

Sandra Mara disse...

Linda sua poesia. Lindo o seu cantinho. Voltei e voltarei sempre!
Um lindo dia regado com mta paz e tranquilidade..
Beijos e até já já!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Lindíssimo poema, muito sentido, triste, mas temos que conviver com a tristeza e nada melhor do que o efeito catártico de um poema.
João, você já conhece o FEMININA, agora queria que conhecesse o GALERIA, onde, no último dos 3 dias que fico em casa, os outros 4 são dedicados ao meu bem-estar físico fora de casa, convido você a apreciar e deixar a sua opinião no meu post no Galeria.
Um abraço,
Renata
PS: Depois, dê um pulo no FEMININA, vc vai gostar!

Gleiciane disse...

Oi querido td bem?

passei só p/desejar a vc parabéns pelo dia do blogueiro

Vlw!!

BlogBlogs.Com.Br